Viagens à volta do meu umbigo. Histórias de uma mãe como as outras
Últimas

Quinta feira de caca

trinta e um de janeiro de...

É todo um requinte, este ...

António Pinóquio

Filha do meio

O sonho concretizou-se

Actividades Extra-Curricu...

Dias felizes

Dias tristes

Teias de aranha

É quando menos me apetece...

Correcção

O que tenho visto através...

Eid Mubarak!

Outra informação importan...

??

Como as pessoas acham que...

E depois de dois fins de ...

Todo um mundo novo

Ao fim de cinco anos dest...

Antigas

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2014

Novembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

mais sobre mim
Quinta-feira, 2 de Julho de 2009
A vida em Londres

É uma cidade enorme. Dou por mim a ter pensamentos um bocadinho provincianos do tipo Ai tanto trânsito! Ai tanta gente! Ena pá, que granda carrão! Fui ao Harrods e parecia uma pacóvia nos meus pensamentos (isto é só marcas que se vê nos desfiles de moda! Olha ali aquela parece uma actriz famosa e coisas assim...) Nas ruas, já acerto para o lado que devo olhar antes de atravessar aí 90% das vezes. Nos supermercados ainda tenho alguma dificuldade em decifrar que tipo de porcaria se encontra dentro de cada embalagem (definitivamente, esta gente não sabe comer). Agora percebo porque é que eles e elas, mesmo com filhos têm tempo para andar nos pubs e nas compras grande parte do dia. É que eles não cozinham. Compram tudo pré cozinhado. Nessas embalagens é que não me apanham!

Andar na rua é fácil e agradável; não há carros em cima dos passeios, há muito espaço para andar com os carrinhos de bebés. Os carrinhos vão facilmente para todo o lado e são uma constante nas ruas de londres. Quase todas as crianças andam neles, mesmo nos autocarros e no metro. A Francisca está fã.

Está um calor insuportável; não por causa da temperatura, mas por causa da humidade. Uma pessoa acorda e adormece a transpirar.

Este fim de semana temos combinada (dependente de bons comportamentos) uma visita ao museu de história natural. Não podíamos vir cá sem ver a maior e melhor exposição de dinossauros do mundo!

Aqui é bastante frequente ouvirmos falar português; nas lojas e nos cafés há muitos portugueses e brasileiros. Mesmo aqui no prédio em que vivemos, as pessoas da manutenção são quase todas portuguesas. Por falar nisso, isto é mesmo outra dimensão. Ao falar com um desses senhores da manutenção, fiquei a saber que neste prédio vivem cerca de 1200 pessoas... Passar de uma vivenda, ainda que geminada, para isto, é dose...

O Afonso está lentamente a adaptar-se, mas fala constantemente em voltar para casa e para as rotinas portuguesas. Quer os avós e os primos e às vezes fala como se fôssemos para Portugal já amanhã... Na escola, como não fala com os outros meninos, comunica não verbalmente. Brincam à pancada, o que não o tem deixado muito bem disposto. Ele gosta, até começar a levar. Aí deixa de achar piada à brincadeira...

Publicado por Vanda às 16:28
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De graça a 3 de Julho de 2009 às 12:32
Gosto de saber que tudo está a rolar, não há nada que o tempo não resolva, quando o Afonso vir os dinossauros vai sentir menos saudades dos avós e primos.
bjs
graça

Comentar post

pesquisar
 
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
tags

a caminho dos três

a horta já tem direito a etiqueta e tudo

a vida em abu dhabi

a vida no bahrain

afonso

ai portugal portugal

amigos

ant

antónio

antonio

apartes

bebés

bloguices

casa nova

cinema

coisas minhas

coisas minhas pai xico

desabafos

ecologia

educação

escola

eu também posto sobre a crise

facebook

falar do tempo

falar do trânsito

familia

férias

férias em portugal

francisca

futebol mas só porque estamos em alturas

gripe a

língua árabe

living in london

mariana

médicos

música

natal em abu dhabi

natal no bahrain

os nossos dias

pai xico

passeios

por esta blogosfera fora

reclamações

são pedro

saudades

ser mae de 3

tomás

viagens

vida de mãe

vida no bahrain

todas as tags

À volta de outros umbigos