Viagens à volta do meu umbigo. Histórias de uma mãe como as outras
Últimas

Quinta feira de caca

trinta e um de janeiro de...

É todo um requinte, este ...

António Pinóquio

Filha do meio

O sonho concretizou-se

Actividades Extra-Curricu...

Dias felizes

Dias tristes

Teias de aranha

É quando menos me apetece...

Correcção

O que tenho visto através...

Eid Mubarak!

Outra informação importan...

??

Como as pessoas acham que...

E depois de dois fins de ...

Todo um mundo novo

Ao fim de cinco anos dest...

Antigas

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2014

Novembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

mais sobre mim
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009
Graças ao MEM

MEM - Movimento Escola Moderna

É a pedagogia utilizada na escola do Afonso. É assente em pressupostos diametralmente opostos aos da escola tradicional. Baseia-se num modelo de educação democrática e participada. As crianças são parte activa na sua aprendizagem e são chamadas a decidir (sempre orientados pelo educador ou professor, claro) sobre vários aspectos do seu dia-a-dia. Estabelecem objectivos e gerem o seu tempo de acordo com eles. Durante uma semana, por exemplo, podem escolher quais os dias em que vão fazer as actividades que estão planeadas e podem, com alguma flexibilidade, organizar e gerir o seu tempo da maneira que mais lhes convenha. No fim da semana têm uma reunião (a reunião do conselho) em que avaliam a semana que passou. Identificam o que correu melhor, o que correu pior e fazem propostas de melhoria para a semana seguinte. Além disso, sempre que trabalham em algum dos projectos que escolheram (o Afonso tem o projecto dos dinossauros, claro), apresentam o trabalho aos amigos. Têm também atribuições e tarefas diárias (organizadas semana a semana, nas reuniões do conselho). As tarefas passam por coisas como: organização da biblioteca, organização do refeitório (contar os amigos e pôr os talheres nas mesas), preenchimento do quadro da meteorologia, garantir que o quadro das presenças está actualizado, verificar se as casas de banho ficam em condições depois dos momentos de higiene (informando os adultos se alguma coisa estiver mal, para que seja corrigida), ser o presidente do conselho (consiste em orientar a reunião do conselho, dando a vez aos que querem falar e dirigindo os assuntos). São muito incentivados a raciocinar criticamente, procurando informação em meios como a internet, brincam que se fartam no meio disto tudo. Aprendem a sério, a brincar.

O que o Afonso ganhou em autoestima, autoconfiança, alegria e desenvolvimento intelectual nestes poucos meses faz-me pensar que andámos a perder tempo precioso no ano passado.

Apesar dele dizer que quer ficar comigo em casa quase todos os dias, vejo-o feliz e integrado como nunca o vi o ano passado. Com amigos e amigas que gostam dele e com quem ele gosta de brincar e conviver.

Saiu-me meia tonelada de cima dos ombros.

tags: ,
Publicado por Vanda às 23:01
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Lina a 16 de Janeiro de 2009 às 00:18
Tenho ouvido falar muitíssimo bem deste método de ensino. As crianças crescem muito autónomas, independentes e confiantes. Tenho uma amiga que estudou com este sistema e, não sei se é dela, mas é uma pessoa com imensa stamina, opiniões próprias muito vincadas, mas também um enorme respeito pelo outros, e enorme capacidade de encaixar a crítica sem se sentir acossada. Gosto imenso da personalidade dela e se uma parte, mesmo que ínfima, tiver sido moldada pelo MEM, acho que já vale a pena.
De Paulo Afonso a 17 de Janeiro de 2009 às 21:53
É muito bom esse sistema, ao contrário do sistema público vigente, em que as crianças quase que vão para o "trabalho" e o dia é passado a ouvir o "Não façam isto, não façam aquilo", castrando o espírito crítico e a capacidade de arriscar, permite que os infantes desenvolvam pensamento "out of the box", valorizando o individuo enquanto ser pensante, ensinado-o a ser um raio de sol no meio do nosso cinzentismo, responsabilizando-os pelas suas acções de que qualquer forma.
É pena é que a escolas se tenham tornado em depósitos de crianças, e não em fábricas de aprendizagem ( e não mimetismo).
Cmps

Comentar post

pesquisar
 
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
tags

a caminho dos três

a horta já tem direito a etiqueta e tudo

a vida em abu dhabi

a vida no bahrain

afonso

ai portugal portugal

amigos

ant

antónio

antonio

apartes

bebés

bloguices

casa nova

cinema

coisas minhas

coisas minhas pai xico

desabafos

ecologia

educação

escola

eu também posto sobre a crise

facebook

falar do tempo

falar do trânsito

familia

férias

férias em portugal

francisca

futebol mas só porque estamos em alturas

gripe a

língua árabe

living in london

mariana

médicos

música

natal em abu dhabi

natal no bahrain

os nossos dias

pai xico

passeios

por esta blogosfera fora

reclamações

são pedro

saudades

ser mae de 3

tomás

viagens

vida de mãe

vida no bahrain

todas as tags

À volta de outros umbigos