Viagens à volta do meu umbigo. Histórias de uma mãe como as outras
Últimas

Quinta feira de caca

trinta e um de janeiro de...

É todo um requinte, este ...

António Pinóquio

Filha do meio

O sonho concretizou-se

Actividades Extra-Curricu...

Dias felizes

Dias tristes

Teias de aranha

É quando menos me apetece...

Correcção

O que tenho visto através...

Eid Mubarak!

Outra informação importan...

??

Como as pessoas acham que...

E depois de dois fins de ...

Todo um mundo novo

Ao fim de cinco anos dest...

Antigas

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2014

Novembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

mais sobre mim
Quarta-feira, 14 de Março de 2012
Nao culpem o Passos Coelho. Nao foi ele que deu cabo do "Estado Social"

O que acontece e que ele nunca existiu em Portugal. Ou pelo menos o que e considerado Estado Social neste pais onde vivemos. Entao e o seguinte (desculpem la mas facam de conta que o texto tem acentos e cedilhas, eu sei que irrita ler assim mas quem da o que tem a mais nao e obrigado): se tiverem tido a sorte de ter nascido nesta terra (e ja agora os vossos pais tambem, filho de estrangeiro nao conta) isto e o que vos espera: Quando casam, o estado da-vos um terrreno para construirem uma casa. Como as casas nao se constroem sem dinheiro, recebem o equivalente a 400 000 euros para a construcao. O terreno e oferta, o dinheiro e-vos emprestado a 30 anos sem juros. Como casaram, recebem 10 000 euros pelo feito. Depois a partir daqui e sempre a somar. Tem um filho, recebem 14 000 euros quando ele nasce. Depois, ao longo da sua infancia recem mais ou menos 1000 euros por mes (isto e por cada filho - agora percebo porque e que eles tem ninhadas). Querem por os meninos no colegio em vez da escola publica? O Estado paga. Podem ter os vossos filhos nas melhores escolas internacionais de Abu Dhabi sem se preocuparem com pormenores insignificantes como o custo escandaloso da educacao neste pais. Depois, tem saude,educaco, energia e alimentacao comparticipada pelo governo. Tem prioridade no acesso ao emprego e recebem sempre mais do que um estrangeiro para a mesma funcao. Nao podem ser despedidos, dai que muitos nem sequer se dem ao trabalho de aparecer para "trabalhar" todos os dias. E chegar cedo tambem e coisa que nao agrada muito, mas nao faz mal quando se e Emirati. De resto, apesar de term todas as regalias do Estado, beneficiam duplamente porque as empresas dao-lhes os mesmos suplementos que aos estrangeiros. Suplemento para a renda da casa, educacao, seguro de saude, subvencoes mensais por cada filho e ate, imagine-se, um valor anual para viagens para casa. Ah, mas a casa deles e aqui. Nao faz mal, recebem na mesma. Sempre aproveitam para viajar que passar aqui a vida toda deve ser cansativo... 

Recentemente houve ate um perdao das dividas pessoais aos bancos. O Estado achou que os pobres desgracados que tinham contraido creditos aos bancos mereciam um "indulto". Ora toca de liquidar as dividas da malta. Abu Dhabi encheu-se de carros novos para celebrar o feito (ah ja nao temos dividas? Entao o que precisamos mesmo e de carros novos... 

E o que da, ter nascido num pais rico (dos mais ricos do mundo) e com pouca gente... Eu acho que os locais nao estao nada preocupados com o facto de nao terem lideres eleitos nas urnas, enquanto mantiverem este nivel de vida vao andar, felizes e contentes a esbanjar dinheiro e recursos. E assim a vida, saiu-lhes o jackpot debaixo dos tapetes, agora e aproveitar enquanto dura!

Publicado por Vanda às 16:51
link do post | comentar | favorito
pesquisar
 
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
tags

a caminho dos três

a horta já tem direito a etiqueta e tudo

a vida em abu dhabi

a vida no bahrain

afonso

ai portugal portugal

amigos

ant

antónio

antonio

apartes

bebés

bloguices

casa nova

cinema

coisas minhas

coisas minhas pai xico

desabafos

ecologia

educação

escola

eu também posto sobre a crise

facebook

falar do tempo

falar do trânsito

familia

férias

férias em portugal

francisca

futebol mas só porque estamos em alturas

gripe a

língua árabe

living in london

mariana

médicos

música

natal em abu dhabi

natal no bahrain

os nossos dias

pai xico

passeios

por esta blogosfera fora

reclamações

são pedro

saudades

ser mae de 3

tomás

viagens

vida de mãe

vida no bahrain

todas as tags

À volta de outros umbigos