Viagens à volta do meu umbigo. Histórias de uma mãe como as outras
Últimas

Quinta feira de caca

trinta e um de janeiro de...

É todo um requinte, este ...

António Pinóquio

Filha do meio

O sonho concretizou-se

Actividades Extra-Curricu...

Dias felizes

Dias tristes

Teias de aranha

É quando menos me apetece...

Correcção

O que tenho visto através...

Eid Mubarak!

Outra informação importan...

??

Como as pessoas acham que...

E depois de dois fins de ...

Todo um mundo novo

Ao fim de cinco anos dest...

Antigas

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2014

Novembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

mais sobre mim
Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2011
Há muito mais coisas a separar-nos do que a simples geografia

Os Emirados são um país super regulamentado. Acho que se não fosse assim, isto era a selva. Por isso é que este país se destaca tanto dos outros países desta região. São super rigorosos e regulamentam, standardizam e controlam tudo. Se isto, por um lado, me agrada, por outro lado faz-me um bocado de confusão. Aqui fazem-se perguntas (em entrevistas de trabalho, por exemplo) que dariam direito a processos judiciais a muitas empresas no Ocidente. Um sindicalista aqui era pessoa para ter um trabalho a tempo inteiro (ai, espera, em Portugal é igual). Os sindicalistas, operários, trabalhadores, feministas, etc, aqui iam andar todos com os cabelos em pé. Porque aqui vasculham a vida toda de uma pessoa antes de a admitir. Perguntam, perguntam, perguntam, confirmam e reconfirmam. Depois da chegada aqui, outra vez. Para fazer um simples cartão de identificação tiraram-nos as impressões digitais de todos os dedos das mãos, depois da mão inteira, depois da parte lateral das duas mãos. Os sistemas de informação estão todos ligados, há câmaras por todo o lado e, apesar de não nos apercebermos, a presença policial é uma constante.

Depois, quem prevarica, leva multas. Claro que já sabemos que o conceito de prevaricação deste lado do mundo é bastante diferente do daí. Já nem falo dos conceitos de comportamento indecente, que para eles é bastante diferente. Aqui toda a gente conhece a expressão "PDA", que significa Public Display of Afection, que, como está bem de ver, é proibida. Marido e mulher não se podem beijar, nem ao de leve, na rua. Beijos de cumprimento entre pessoas de sexos opostos também não são bem vistos. Há multas previstas, mas nestes últimos casos, tratando-se de ocidentais ou turistas, a polícia faz vista grossa e não actua. A não ser que seja obrigada, caso algum local se queixe do comportamento e aí, tem que se pagar a incúria... Um casal também não deve andar de mãos dadas ou abraçados, apesar de eu própria já ter visto alguns casais locais de mãos dadas sem vir daí mal ao mundo. Uma das coisas que me faz confusão é que, se forem homens, ele é beijos, abraços, andam de mãos dadas pelos centros comerciais e isso não faz mal. Mulheres com mulheres também pode ser. Homens com mulheres é que nada...

Depois há muitas regras caricatas, como por exemplo no caso da estudante que teve que pagar uma multa no metro do Dubai por ter adormecido. Como estava a incomodar outros passageiros, foi multada. Caso não se ressone, não se babe e não se caia para cima de ninguém enquanto se dorme, a multa é perdoada.

Um português que vive no Dubai foi multado por atravessar fora da passadeira. Ao seu lado estava um homem vestido com um equipamento de jogador de basquetebol que afinal era policia à paisana e multou-o.

Uma notícia dizia que em Abu Dhabi, quem não tivesse o carro limpo era multado.

Não se pode fotografar edifícios públicos. Uns imigrantes Bangladeshis foram presos por terem tirado fotografias na zona exterior da grande mesquita. As autoridades alegavam que eles fotografaram uma ponte ou um edificio qualquer com segundas intenções.

A lista continuaria, a minha memória é que já não é a mesma...

Publicado por Vanda às 18:23
link do post | comentar | favorito
pesquisar
 
Fevereiro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
tags

a caminho dos três

a horta já tem direito a etiqueta e tudo

a vida em abu dhabi

a vida no bahrain

afonso

ai portugal portugal

amigos

ant

antónio

antonio

apartes

bebés

bloguices

casa nova

cinema

coisas minhas

coisas minhas pai xico

desabafos

ecologia

educação

escola

eu também posto sobre a crise

facebook

falar do tempo

falar do trânsito

familia

férias

férias em portugal

francisca

futebol mas só porque estamos em alturas

gripe a

língua árabe

living in london

mariana

médicos

música

natal em abu dhabi

natal no bahrain

os nossos dias

pai xico

passeios

por esta blogosfera fora

reclamações

são pedro

saudades

ser mae de 3

tomás

viagens

vida de mãe

vida no bahrain

todas as tags

À volta de outros umbigos